fbpx

Libia Macedo

Por Ludimila Gonçalves

Você consegue aproveitar os eventos, workshops e encontros que participa? Ou sai com a sensação de que poderia ter sido melhor?

Muitas vezes acontece de investir tempo e dinheiro e não tirar proveito do que os palestrantes ou o ambiente de networking têm a oferecer seja por não estar preparado para aquele conteúdo ou por passar frio porque o ar-condicionado estava gelado demais.

Para ter um retorno positivo desses encontros, a especialista Líbia Macedo dá algumas dicas para você aproveitar bem todos os momentos. Além de questões de etiqueta, para que você não atrapalhe outros participantes sem perceber. Professora da área de eventos das universidades Anhembi Morumbi, SENAC e ESPM, Líbia tem mais de 20 anos na área, com experiência desde corporativos à mega eventos como as Olimpíadas Rio 2016. Nesse período, ela já presenciou situações que prejudicam o melhor aproveitamento de um evento e, especialmente, aprendeu muito sobre o que fazer para agregar mais conhecimento, aumentar a rede de relacionamento e ter retorno do tempo e o dinheiro investidos.

Confira as 10 dicas importantes:

1- Conheça o conteúdo do evento e seu objetivo nele

Antes de tudo, pare para pensar qual a característica do evento – o tipo, o tema, os palestrantes… E se perguntar: qual a “pegada” do evento? Como vai trazer benefício pra mim?

Entender o conteúdo do evento diferencia sua forma de participação para otimizar os resultados, visando aquilo que você quer. Às vezes você vai num evento focado na fala do palestrante que vai te ajudar de forma pessoal. Em outros casos, o tema é interessante, mas o motivo principal são as pessoas que estarão presentes, quer seja para rede relacionamento ou até mesmo porque são o público-alvo do seu negócio, por exemplo. “Então a primeira coisa de quem participa é saber qual é o seu foco: se no conteúdo ou no perfil das pessoas que vão lá. E aí a sua preparação para cada um deles será diferente”, explica Líbia.

2-Leve um casaquinho, provavelmente a sala estará gelada

Quem participou de algum evento sabe: tem ar-condicionado e às vezes pode estar bem gelado. E o que também sabemos é que se não nos sentimos bem ou confortável num ambiente, não curtimos o que está acontecendo. Segundo a especialista, alterar a temperatura do ar não é tão simples, a intensidade depende do tamanho da sala e do número de pessoas que ela comporta e, em muitos locais, a mudança de temperatura não é tão rápida, por uma questão técnica pode demorar muito. Neste caso é melhor não contar com isso.

“A dica é: mesmo num dia de muito calor, leve uma blusa ou echarpe e vá com um sapato fechado. Em dias frios, vá com um casaco que você possa tirar e ficar confortável”, acrescenta Líbia, lembrando que checar antes o tipo de evento garante acertar no que vestir e não se sentir deslocada, como estar com uma roupa superelegante num evento que permitia um look mais descontraído. Esse tipo de situação também pode atrapalhar a concentração e impedir aproveitar melhor o evento.

3- Não chegue em cima da hora ou atrasada

“Evite chegar em cima da hora porque você vai perder aquele primeiro momento de inscrição, onde você já pode iniciar um contato com as pessoas e visualizar conversas que estão acontecendo, para depois estreitar a relação durante os intervalos”, sugere Líbia. Se você está atrasada e correndo, já chega cansada e com a energia de que está “toda perdida”, e acaba deixando muitas oportunidades passarem. Se você chega com uma certa antecedência, tem a chance de mapear um pouco o terreno.

4- Evite ficar no celular “zapeando” o tempo todo

Não é fácil se desligar da tecnologia, mas durante um evento, Líbia diz que é bom evitar ficar mandando mensagens ou checando as redes sociais a cada minuto. “Às vezes por não prestar a atenção, pode-se fazer uma pergunta de uma coisa que o palestrante acabou de falar ou que alguém já comentou”, exemplifica. E essa questão vai muito além de ser uma situação chata. “É preciso se propor a ficar off-line, se desligar efetivamente por algumas horas e focar naquela situação, para que você possa reverter o investimento que você fez – de tempo e de dinheiro”.

5- Aproveite os intervalos de forma eficiente e faça contatos de qualidade

No coffebreak é bom se alimentar, mas também é muito bom aproveitar para conhecer mais pessoas e fazer amizades. Fique atento durante as palestras para aproveitar quem fez determinadas perguntas e que possa ser interessante para você. Tente ficar próximo das pessoas que achou relevantes, para tomar um café com elas e chamar para uma conversa e não apenas distribuir cartões para todos os presentes, já que depois ele pode acabar no lixo se a pessoa nem se lembrar de você. “Se eu conhecer a pessoa e tiver uma referência dela é muito melhor. Então é assim também para a outra pessoa, até porque, nesse caso, você ganha na qualidade do contato, não na quantidade. Quantidade nunca foi sinal de qualidade e de efetividade”, afirma.

Outra dica, mas que tem que ser feita de forma muito discreta, de acordo com Líbia, para não parecer mal educado “é anotar alguma referência da pessoa no cartão que ela lhe entregar, isso pode ajudar depois, na sua organização e no acompanhamento”.

6- Sente-se em lugares diferentes

Tente sentar em lugares diferentes para conhecer pessoas diferentes, a não ser, é claro, que logo de início você esteja sentado ao lado de alguém realmente interessante para você, aí é importante fortalecer a relação. Porém, se isso não acontecer, a sugestão é mudar e, a cada hora após os intervalos, sentar em outros lugares. “Você também pode almoçar com uma pessoa, depois tomar um café com outra. Dessa forma, no mínimo você vai conhecer 3 ou 4 pessoas novas”.

7- Não faça propaganda de si mesmo o tempo todo

Fazer perguntas e interagir é essencial para aproveitar ao máximo o que o palestrante tem para compartilhar, porém é preciso ficar atento para não ser inconveniente. “Aproveite para fazer perguntas pertinentes com o cuidado de não ficar fazendo propaganda sua ou da empresa porque é algo chato. Se apresente, fale sobre você e sua área de atuação, mas de forma suave. Você se identifica, sem “queimar” a sua imagem. Ou vai ficar parecendo uma terapia pessoal. A ideia não é, ao questionar, aparecer mais que o palestrante ou outro convidado”.

8- Seja no papel ou no celular, anote o que achar importante

“Sou de uma época de anotação, mas entendo que tem gente que não costuma anotar, mas algumas coisas podem ajudar depois, ainda mais se não tiver a memória muito boa. Neste caso anotar os tópicos principais que o palestrante falar, como a sugestão de um livro, um site para procurar ou uma frase de impacto, por exemplo, acho que vale a pena”. Se caso o palestrante passar o e-mail, essa pode ser uma oportunidade para enviar uma pergunta depois e manter o contato com ele se você tiver esse interesse.

9- Desligue o flash antes de tirar as fotos

Primeiro, antes de tirar a foto, tenha certeza de que não é um problema para o palestrante. Alguns deles avisam antes sobre isso, por isso é bom sempre prestar atenção. Mas se as fotos forem liberadas, desligue o flash do celular ou da câmera. Isso não é legal, a luz atrapalha e desconcentra quem também está ali, principalmente o palestrante.
Outra coisa é perceber o “timing” certo de pedir foto com o palestrante já no final. Se quiser tirar uma foto sozinha com ele, se apresente, faça uma abordagem educada e pergunte. “Pegar no braço do palestrante para tirar foto não é legal. É só se apresentar, dizer quem você é, isso é educação”.

10- Seja gentil

“Gentileza gera oportunidades”. Segundo Líbia, ser gentil pode trazer muitas coisas boas, como oferecer uma carona para alguém ou ir junto até um ônibus ou metrô no final do evento. “Aí você tem mais uma oportunidade de se conectar com alguém que não conseguiu em outros intervalos. Então temos aí no mínimo três momentos para poder fazer networking e amizades”, finaliza.

Blog Como aproveitar melhor sua participação num evento